Papo Reto com Beto da Liga.





* Um olhar diferente

A perspectiva é que o mundo seja “reorganizado”, as sequelas da pandemia estão em todos os setores, não adianta reclamar da sorte nesse momento, cabe encontrarmos soluções inteligentes e buscarmos a construção de um novo mundo. 



* Dura batalha 

Diante do quadro devastador que o mundo vem passando, cabe a cada um de nós ter um olhar crítico para nosso interior e avaliar o quanto somos inúteis diante de um inimigo que nem a maior potência bélica conseguiu destruir.

*Dura batalha 1

O sofrimento de muitas classes vem se agravando. É preciso, também, buscar uma solução para os moradores de rua que estão ao relento e muitos condenados à morte.

* Se correr o bicho pega e se ficar... não tem outra alternativa.

Os relatos dos mototaxistas têm me impressionado pela franqueza. A grande maioria usa esse trabalho para sobrevivência e estão expostos à sorte, não sabem se, de repente, o “inimigo” está de garupeiro, mas não podem parar.

* Apoio psicológico 

Alguns mototaxistas estão entrando em pane por não saberem como fazer para conseguir seus sustentos. Além do risco do vírus, temem que a onda de assaltos aumente por falta de trabalho e se sentem entre a cruz e a espada.

* Pausa e reflexão 

A classe musical da cidade já vem há muito tempo buscando uma alternativa de “independência”, porém a desunião tem sido o maior obstáculo para que se chegue a um consenso. Agora, mais do que nunca, se funcionasse a cooperativa dos músicos, talvez teriam uma maior proteção junto aos órgãos públicos.

* Pegando carona 

O quadro em um contexto geral para toda classe artística e cultural é desolador. Espelhando-se na onda das "lives", foi dado o pontapé inicial do couvert solidário, no papo reto e já se viu uma pequena luz no fim do túnel.

* Músicos x sec. de Cultura

A Secretaria de Cultura do município possui uma estrutura de organização, com cargos inferiores ao secretário e, nesse momento delicado, ninguém abriu a boca para ser solidário à classe.

* Voucher da Cultura

A proposta do cantor e compositor Jorjão Lima teve boa repercussão no meio da classe. O adiantamento da PMPA seria descontado em shows futuros. Resta saber se essa via de mão dupla será construída.

* Por trás das cortinas 

A classe artística e cultural vai muito além dos músicos, atores, palhaços, dançarinos e etc... Aqueles que colaboram na construção dos espetáculos e ficam nos bastidores também precisam ser enxergados.


Postagem Anterior Próxima Postagem