Ídolo do Bahia, ex-zagueiro Sapatão morre aos 72 anos


Ele estava internado em UTI e foi diagnosticado com coronavírus



O Bahia está de luto. Ex-jogador e ídolo do clube, Sapatão morreu nesta sexta-feira (5), aos 72 anos. Ele estava internado na UTI do Hospital da Bahia desde o dia 17 de maio após passar mal em casa, com quadro de hipertensão - também sofria de problemas renais.

Sapatão apresentou complicações na madrugada de 27 de maio e precisou ser intubado. O ex-zagueiro passou a respirar com a ajuda de aparelhos e, já na UTI, foi diagnosticado com covid-19, supostamente contraída no hospital.
Élcio Nogueira da Silva, ou simplesmente Sapatão, fez sucesso jogando com a camisa do Bahia durante as décadas de 1970 e 1980. Ele é um dos quatro jogadores que atuaram em toda a campanha que deu ao tricolor o inédito e até hoje inigualado heptacampeonato baiano de 1973 a 1979. Os outros são Baiaco, Fito e Douglas. 
Além do Esquadrão, passou ainda por Flamengo, Fluminense de Feira - pelo qual foi campeão baiano de 1969 -, Santa Cruz e Catuense. Após encerrar a carreira nos gramados, Sapatão se tornou treinador e dirigiu equipes como Ypiranga, Camaçari, Galícia, América-SE e União São João-SP.
Em nota, o Bahia lamentou a morte do ídolo. "Capitão tricolor em todos os títulos da inigualável conquista do heptacampeonato estadual, entre 1973 e 1979", lembrou o clube. 
Ao todo, com a camisa tricolor, Sapatão entrou em campo 450 vezes e marcou 12 gols. 
Ele deixa a viúva Junalva Nogueira, três filhos e quatro netos. Ainda não há informações sobre o sepultamento.
Postagem Anterior Próxima Postagem