Quatro estados podem estar enfrentando segunda onda da Covid-19, alerta Fiocruz



Estados que antes registravam queda constante no número de internações de pacientes com insuficiência respiratória aguda grave viram esse índice voltar a crescer nos últimos dias. A avaliação é feita pela Fiocruz, que aponta que Amapá, Maranhão, Ceará e Rio de Janeiro podem estar no início da chamada segunda onda da Covid-19.

Segundo a coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, o Amapá registrou seu pico de internações entre os dias 3 e 9 de maio, com 65 casos. Depois disso, houve uma queda de 46% e o número chegou a 35. Agora, ele voltou a subir, chegando a 59 internações.

Nos demais estados citados, a situação é semelhante. O Maranhão registrou 378 casos na semana de pico, depois caiu para 150 e voltou a subir para 167 internações. O Ceará passou de 2.048 casos para 813 e cresceu novamente, registrando 871 na semana passada. No Rio de Janeiro, as internações chegaram a 2.844, tiveram baixa de 60%, chegando a 1.154 registros, e entre 12 e 18 de julho demonstrou crescimento, com 1.367 pessoas internadas.

“Os estados apresentavam queda, mas ainda tinham níveis altos de casos. E agora voltam a subir”, explicou o pesquisador Marcelo Gomes, que coordena o Infogripe, da Fiocruz. O sistema foi o primeiro a indicar que havia uma explosão de internações por problemas respiratórios no Brasil, em março. 

“É preciso avaliar se há um salto por causa da retomada econômica, se há interiorização dos casos ou se são as duas coisas combinadas”, complementa.

A Fiocruz monitora os dados da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no país. Embora ela possa ser causada por vários vírus, ao longo da pandemia, se evidenciou que 96,7% dos casos confirmados de internação por isso são de Covid-19.
Postagem Anterior Próxima Postagem